28 de dez de 2009

Piscinas islandesas


São de água quente...bem quente! A mais linda é a da Blue Lagoon.

O azul me lembra uma tia querida, que quando diz " tudo azul ?" quer saber se está TUDO BEM...

24 de dez de 2009

Direto da Islândia !

No Natal lembramos das crianças...nossas e todas.




Lazytown é muito querido pelas crianças e foi criado pelo Islandês Magnus Scheving ou melhor, Sportacus. Para quem conhece e para quem não conhece, aqui vai um pouquinho de alegria para este Natal!

14 de dez de 2009

O que é ...Onde é ?

Ilha Fluvial
Sede da ONU (Organização das Nações Unidas)
Você acha que é americana, mas na verdade é internacional
Tem ruas e avenidas numeradas
Taxistas vindos do mundo inteiro
Um belo parque central
Carruagens com cavalos brancos
Sonho de viagem de consumo
Gastronômico, cultural e eletrônico
Maçã pronta para aquela mordida...



























3 de dez de 2009

Como é bom ...comer e beber na Ilha do Melting Pot!


Depois de andar, andar e andar, precisamos repor as energias...e aqui vão umas dicas!

1-Meu preferido...sempre passo lá. Em tooodas as viagens, seja a trabalho ou não. Bistro Milano, onde Ben-Hur é o maître, os vinhos em taça são magnificos e a comida italiana maravilhosa. Na 55th St com Ave das Americas. Tem ambiente de bistrô...não é badalado, mas é certeza de boa comida e lugar bacana.

2-Alice´s Tea Cup. Lá você vai finalmente encontrar a Alice do País das Maravilhas. Casa de chá e sanduiches. Tem uma lojinha de Alice-no-País-das-Maravilhas na entrada. Programa de mulher...102 W 73rd ST com Columbus Ave.

3-The Modern...dá para ir sozinha (no balcão), a três, a quatro, a cinco , ou muito bem acompanhada. É o restaurante do MOMA. Moderno. Classudo. Pratos pequenos. Deliciosos. Lindos. W 53rd St entre 5th e 6th Aves. Vale almoço, brunch ou jantar.

4-Um francês...Balthazar. 80 Spring St entre Broadway e Crosby St. Muito bom. O brunch de domingo vale a pena.

5-Contemporâneo...Public. 210 Elizabeth St entre Prince e Spring St. Parece um galpão industrial. A cozinha tem influência neo-zelandesa.

6-Em Meatpacking o campeão é o Spice Market (403 W 13th St com 9th Ave). Bem agitado. Gente bonita e moderna. Comida com ares do mais-fresco-do-mercado-do-dia.

7- Hudson Bar...tenho lindas recordações. Um bar aberto no verão, um bar com decoração pós moderna e piso de vidro...Fica no Hudson Hotel. Você vai andando pela 58th St entre a 8th e a 9th Ave até achar uma escada rolante num ambiente esverdeado. E uma vez lá em cima ...aproveite!

8-O tradicional Peter Luger. Nunca fui, mas tenho ótimas recomendações de quem ama american steaks. Fica no Brooklin ( 178 Broadway com Driggs Ave). Mas se você não quiser ir até o outro lado da ponte tente o Ben Benson´s Steak House na 123 W 52nd St .

9- A gente assiste a filmes e acha que tem vários restaurantes gregos por lá...experimentei o Avra Estiatorio e valeu a pena. 181 East 48th St em Midtown. O ambiente é lindo.

10- A rua 46...West 46 Street (entre 8th e 9th Ave) tem vários restaurantes e até um brasileiro! Se você não sabe aonde jantar dê um pulo lá! Tem o Becco (355 W 46 St) com seu cardápio de massas, massas do dia e vinhos a bons preços. Duvido que você não ache um restaurante que não bata com o seu santo! ...ou a sua fome...

Faltou falar no Paradou, simpático bistrozinho em Meatpacking ( 8 Little West 12th Strret) e váaarios outros.  Se você tiver uma dica, aproveite e deixe seu post aqui!

28 de nov de 2009

Achados e anotados de NYC. Afinal uma comprinha não faz mal a ninguém!


Além de mil passeios, Nova York também é uma delícia para quem gosta de comprar, ou "precisa comprar", ou quer só olhar, ou quer se atualizar...aí vai mais uma listinha...

  1-Apple Store na 5th Ave. Pra quem sempre quis um Apple ou pra quem quer saber porque Steve Jobs é um gênio...

  2-B & H na 34th ST com 9th Ave. A maior (e melhor na minha opinião...) loja de câmeras, filmadoras, video . Fecha aos sábados e feriados judaicos. Abre domingos.

  3-J & R na 23 Park Row em downtown. Best Buy na 5th Ave. Aparelhos eletrônicos e de informática de quase todas as marcas.

  4- Paragon Sporting Goods na Broadway com 18th St . Três andares repletos de tudo para esportes.

  5-Dean & DeLuca na Broadway com Prince ST. Paraíso gourmet. Comidinhas, chás, chocolates, cafés, frutas, queijos, pães...tudo do bom e do melhor.

  6-Toys R´Us na Broadway em Times Square. Super loja de brinquedos. Bem pertinho está a Sephora com cosméticos, perfumes, cremes, maquiagem. Gosto muito da marca NARS. Bons preços.

  7-Macy´s na 34th ST com Broadway, Bloomingdale´s na Lexington Ave com 59th St e Saks FFifth Ave na 5th Ave com 49th ST são as preferidas no quesito lojas de departamentos .

  8-A McNally Jackson no 52 Prince St entre a Lafayette e a Mulberry ST é minha livraria preferida. Mas se você não for ao Soho, a Barnes&Noble na 5th Ave é minha sugestão.

  9-A loja da Prada no  575 Broadway no Soho é liiiiinda e maravilhooosa. Vale a visita. A Abercromble & Fitch na 5th Ave também!

  10-A Kate´s Paperie na W 57th ST entre 6th e 7th Ave é uma super charmosa e linda papelaria. Papéis, caixas, cartões, adesivos, agendas, bloquinhos, cadernos, canetas, lapiseiras e tudo o mais...

Mas se você só tiver umas horinhas, fique mesmo na 5th Ave entre a 40th St e a 60th St. Você vai encontrar um pouquinho de tudo...Have fun!

24 de nov de 2009

Coisas que você só pode fazer ...em NYC!


1- Passar a tarde visitando os dinossauros...no American Museum of Natural History na 79th ST com Central Park West. O maior museu de história natural do mundo !

2- Conhecer Strawberry Field e lembrar dos Beatles...no Central Park. Criado em 1857 pelo paisagista Frederick Law Olmsted que mandou trazer mais de 500 mil árvores durante 16 anos para garantir lares para muitos esquilos!

3- Descer a galeria em espiral mais famosa do mundo...no  Solomon Guggenheim Museum na 5th Ave com East 89th ST. Vale a pena não só pela arquitetura, mas também pelo maior acervo de Kandinsky do mundo. Isso sem falar nos Renoir, Degas, Picasso, Van Gogh, Monet, Calder e outros.

4- Conhecer o templo de Dendur...no Metropolitan Museum of Art na Central Park West com East 82nd ST. O templo foi doado pelo Egito em 1965 e reconstruído peça por peça.

5- Subir 102 andares...de elevador, num edifício de 1930. O Empire State building foi construído em 410 dias, custou 42 milhões de dólares e já serviu até para ancorar dirigíveis.Fica na 5th Ave com East 34th ST.

6 - Ver o relógio de 13m da Grand Central Station...Inaugurada em 1913, tem um lindo salão de mármore de 114 m de comprimento por 36 m de largura e um maravilhoso teto abobadado de estrelas. Fica na 42nd St com Park Ave.

7 - Acender uma vela na maior catedral católica dos Estados Unidos...Saint Patrick's Cathedral. Possui 2400 lugares e foi construída entre 1858 e 1878. Na saída vale a pena parar no Rockefeller Center. O inverno traz uma bela pista de patinação e o verão transforma-a em um delicioso restaurante ao ar livre.

8- Ficar 30 minutos em Times Square...descansando nas polêmicas cadeiras que a transformaram em rua de pedestre. Lá você vai entender porque NY " is the city that never sleps". Broadway Ave com West 41st ST.

9- Ouvir e aprender um pouco de rock-and-roll...no Rock and Roll Hall of Fame. Eu garanto que toda a família vai gostar...Esse museu fica no Soho, 76 Mercer Street.

10- Ir ao novo MOMA...inaugurado em 2005. Uma grande reforma o modernizou mas manteve a essência... além disso, tem a loja do museu na porta ao lado e a loja de Design logo em frente...West 53rd St entre 6th e 5th Ave.

Paro por aqui...hoje! A lista continua nos próximos posts.
E aí eu explico...nos últimos 15 dias duas amigas perguntaram por dicas em NYC.
Leda e Ana, aqui vai meu muito obrigada pela dica de post no Blog!

5 de nov de 2009

A Grande Maçã e seus taxis amarelos. Você sabe porque?


A Big Apple foi primeiro popularizada como uma referência para Nova York por John J. Fitz Gerald. Na década de 1920 ele escrevia matérias no jornal Nova York Morning Telegraph sobre corridas de cavalo em Nova York.

Fitz Gerald referia-se à "Grande Maçã"  freqüentemente e explicou na edição de 18 de fevereiro de 1924, na sua coluna sob o título "Around the Big Apple":

"The Big Apple. O sonho de todo jockey que monta um puro sangue inglês (thoroughbred ) e a meta de todos os cavaleiros. Há apenas uma Big Apple. Isso é Nova York.
Dois jóckeys levavam nas mãos um par de puro sangues thoroughbred  ao redor de uma pequena arena próxima aos estábulos do Fair Grounds em Nova Orleans.
"Para onde vamos depois?" questionou um.
"Daqui vamos direto para a Big Apple ", respondeu o outro orgulhosamente.
"Bem, acho melhor você engordar esses cavalos senão só vai sobrar o caroço da maçã !", foi a tréplica rápida."

Uma outra versão vem do Chicago Defender, um jornal Africano-Americano de circulação nacional. Billy Tucker, um vaudeville / jazz performer que escrevia para o Defender, usou o termo "grande maçã" para se referir a Nova Iorque, em 16 de setembro de 1922 num contexto de show business:
  "Espero que a sua visita a Big Apple (Nova Iorque) tenha sido um enorme sucesso e desejo que eu tenha sido capaz de contribuir para isso"

Esse mesmo autor havia utilizado "Big Apple" como uma referência a Los Angeles em 15 de maio de 1920. Acredita-se que Billy usasse "Big Apple" para se referir a qualquer grande cidade.
 "Caro amigo Tony: Não... Billy Tucker ainda não desapareceu do mundo...apenas ainda está na 'Big Apple', em Los Angeles."

No final dos anos 1920, muitos autores já usavam "Big Apple" para se referir a Nova York fora do contexto das corridas de cavalo."The Big Apple" foi uma canção e dança populares na década de 1930. Walter Winchell e outros escritores continuaram a usar "Big Apple" nas décadas de 40 e 50.

Na década de 1960,  "Big Apple" era apenas um nome antigo para Nova York. No início dos anos 1970, a Convenção de Nova Iorque e Visitors Bureau (agora NYC & Company, organização oficial para marketing e turismo de New York City), sob a liderança de Charles Gillett, começa a promoção "do Big Apple", como codinome e logo da cidade. Em 1997 o Prefeito Rudolph W. Giuliani, assinou uma lei designando a região sudoeste de West 54th Street e Broadway Av, onde John J. Fitz Gerald residiu 1934-1963, como "Big Apple Corner."[o canto da Grande Maçã].

Mas...e por que os táxis são amarelos em Nova York?
John Hertz, que fundou a Yellow Cab Company em 1907, escolheu a cor amarela porque tinha lido um estudo realizado pela Universidade de Chicago que indicava esta cor como a mais fácil de ser notada em qualquer situação.

(resumo e adaptação da Wikipedia)

26 de out de 2009

rumo a Manhattan


Manhattan é o centro da cidade de Nova Iorque, e junto com o restante da cidade, forma o segundo maior aglomerado de edifícios do planeta, superado apenas por Hong Kong, na China, e seguida por São Paulo, no Brasil. A ilha abriga os maiores arranha-céus da cidade, que também estão entre os maiores do mundo, tendo destaque para o Empire State Building, Bank of America Tower, Chrysler Building, entre muitos outros.


Conta com os dois maiores centros financeiros da cidade, a Lower Manhattan, ao sul da ilha, onde está localizado o coração financeiro do país, a Wall Street. E a Midtown Manhattan, onde estão localizados os maiores arranha-céus. É também um dos maiores centros de turismo do mundo, tendo como destaque a Times Square, Central Park, Empire State Building, a Quinta Avenida, além de muitos outros atrativos.

Possui a segunda via mais luxuosa do mundo, a Quinta Avenida, que abriga além de grandes empresas, diversas grifes internacionais. É um dos pontos turísticos mais renomados dos Estados Unidos.
Manhattan é um dos 62 condados do Estado americano de Nova Iorque, e um dos cinco distritos (boroughs) da cidade de Nova Iorque. A ilha possui uma área de 58 km², uma população de 1 537 195 habitantes, e uma densidade populacional de 25 849,9 hab/km² (censo de 2000).

O nome Manhattan deriva da palavra Manna-hata, segundo o diário de 1609 de Robert Juet, um oficial do barco Halve Maen (Meia Lua) de Henry Hudson. Um mapa de 1610 mostra o nome Manahata duas vezes, em ambos os lados oeste e leste do Rio Maurício (mais tarde nomeado Hudson River).
A palavra "Manhattan" foi traduzida como "ilha de muitas colinas" a partir do Linguagem Lenape.

Em 1524, os índios Lenape encontraram o florentino Giovanni da Verrazano, primeiro explorador europeu a passar pela Nova York Harbor. Apenas na viagem de Henry Hudson, um inglês que trabalhou para a Companhia Holandêsa East India (Indias Ocidentais), a área foi mapeada. Hudson chegou à Ilha de Manhattan e junto com os povos nativos que viviam lá em 1609, prosseguiu pelo rio que mais tarde iria ter o seu nome, o Hudson River, até o local da atual Albany.

A presença européia permanente na Nova Holanda começou em 1624 com a fundação de um comércio de peles na Governors Island. Em 1625 foi iniciada a construção de uma cidadela e do Forte Amsterdam na ilha de Manhattan, mais tarde chamada New Amsterdam (Nieuw Amsterdam).
A cidadela era usada como proteção para os europeus recém-chegados e a sua fundação em 1625 é reconhecida como a data de nascimento de Nova Iorque.
Segundo um documento de Pieter Janszoon Schagen - Peter Minuit adquiriu Manhattan em 1626 dos povos nativos em troca de bens comerciais no valor de sessenta florins que alguns dizem valer vinte-quatro dólares. Porém ao converte-los para a moeda atual a soma equivaleria a 1000 dólares (Cálculo do Instituto Internacional de História Social, Amsterdam).

Em 1647, Peter Stuyvesant foi apontado como o último holandês diretor-geral da colônia.New Amsterdam foi formalmente incorporada como cidade em 2 de fevereiro de 1653. Em 1664, foi conquistada pelos britânicos e New Amsterdam foi rebatizada de "Nova York", em honra ao Inglês Duque de York e Albany, o futuro rei James II. Stuyvesant e seu Conselho negociaram 24 artigos de transferência provisória com os britânicos, buscando garantir algumas liberdades para os holandeses, incluindo a liberdade de religião, sob domínio britânico.

22 de out de 2009

A língua que enrola a língua


Segundo a wikipedia:

O norreno ou norueguês antigo é o nome dado à língua que os colonizadores vikings falavam. Na Alta Idade Média ainda não havia uma diferença significativa entre as línguas faladas na Escandinávia, que eram naqueles tempos mutualmente inteligíveis.


O islandês é considerado a língua mais conservadora das línguas escandinavas e representa um caso único de continuidade lingüística. O isolamento geográfico, somado a altas taxas de alfabetização na ilha desde o século XIII contribuíram para a estabilidade do idioma. A variedade moderna do idioma reteve o sistema de casos original do nórdico antigo, herdado do Indo-europeu, e um vocabulário relativamente inalterado.

Há muitos séculos existe um movimento que zela pela "pureza" da língua e apresenta uma resistência aos empréstimos de palavras de outras línguas modernas. Quando um objeto novo é descoberto ou um novo conceito é criado, há um departamento na Universidade da Islândia em Reykjavík que se incumbe de criar um novo termo a partir do léxico já existente. Palavras como telefone, que em islandês é sími, uma antiga palavra islandesa para fio ou cabo; rádio: útvarp, computador: tölva e eletricidade: rafmagn (poder do âmbar) são exemplos desse movimento

O islandês moderno é o idioma mais conservador de todas as línguas escandinavas e pode-se datar seu início em 1540 com a tradução do Novo Testamento.
A língua normativa é uma continuação direta da língua dos antigos colonos, mostrando forte influência da língua do sudeste da Noruega; de fato, durante os primeiros 200 anos não havia diferenças marcantes entre o norueguês e o islandês. Os laços culturais entre as duas nações eram fortes até o século XIV, quando ocorreu a União de Kalmar entre Dinamarca, Noruega e Suécia, o que leva a separação entre Islândia e Noruega e os islandeses a traduzir a Bíblia e outras literaturas de cunho religioso para sua própria língua e os noruegueses a adotar o dinamarquês como língua oficial da Igreja.

O islandês é escrito utilizando-se o alfabeto romano, introduzido junto com o cristianismo por volta do ano 1000, acrescido de alguns símbolos próprios:ð (chamada eth, que é uma fricativa dental sonora [ð]), þ (thorn, que representa a fricativa dental surda [θ]) e æ (que representa o ditongo [ai]). O alfabeto islandês completo tem 32 letras. As vogais com acentos são consideradas letras separadas; assim, num dicionário austan vem antes de ábóti. O alfabeto completo é como segue:


A Á B D Ð E É F G H I Í J K L M N O Ó P R S T U Ú V X Y Ý Þ Æ Ö

O norreno era escrito até a cristianização utilizando-se o alfabeto rúnico, havendo daquela época algumas inscrições em pedras, túmulos e etc.

21 de out de 2009

O melhor hot dog é AQUI



O carrinho de cachorro quente mais famoso da Islândia é aqui em Reykjavik.

Desde 1937 Baejarins Bestu vende deliciosos hot dogs com opção de cebola crua, cebola caramelizada, mostarda suave, mostarda picante...huuumm

Carros param a todo momento. Os mais simples, os mais modernos, os mais poderosos. Turistas. Operários. Estudantes. Casais. Moços. Idosos. E não dá pra comer um só.

Eu provei. E aprovei.



18 de out de 2009

O Senhor dos Anéis e a Islândia...o que eles têm em comum?


Hidden People...Povo Invisível ou Povo Escondido... sim, eles habitam a Islândia. Ao perguntar a um Islandês se ele acreditava no Hidden People, ouvi uma estória, mais ou menos assim...

Há alguns anos atrás estavam construindo uma estrada. No meio do caminho tinha uma pedra...Imensa. Tentaram explodi-la e falhou. Tentaram empurrá-la e a máquina quebrou. Tentaram furá-la e não funcionou. Tentaram explodi-la novamente e ...falhou.
Nada dava certo. E a obra parada. Aí chamaram uma vidente. Ela chegou. Olhou. Fechou os olhos. Conversou com o ar. Ficou algumas horas assim. Então revelou a mensagem. Ali era uma casa de Hidden People. Sugeriu mudança no traçado da estrada. Aceitaram. Alteraram. A obra prosseguiu.

Ao final, o Islandês disse que respeitava, como todos no seu País, o Hidden People.

J.R. Tolkien inspirou-se no Hidden People e batizou com nomes Islandeses muitos personagens da trilogia do Senhor dos Anéis.

15 de out de 2009

Depois de passar atrás da cachoeira...vá até a Lagoa do 007 !

Era uma vez...a cachoeira Seljalandsfoss. Imagine uma cachoeira lá no alto.E aqui embaixo alguns arco-íris dando as boas vindas aos visitantes. Lindo.

Aí lembre-se de Jökulsárlón. É difícil? Vou ajudar...Que tal pensar em 007. Naquele filme do hotel de gelo e perseguição em um lago gelado. Die another day ou Um novo dia para morrer. Filme de 2002 com Halle Berry e Pierce Brosnan. Lago repleto de icebergs de todos os tamanhos. E com azuis de todas as cores.

Mas eu gostei mesmo foi de passar atrás da cachoeira. Molhou. Tudo...mas,valeu a pena!


13 de out de 2009

Voltamos à Islândia...pelo Sul do Círculo Dourado

Do oeste em Pingvellir até as praias de areias negras e os rios da geleira no lado leste de Vatnajökull, muitas atrações são imperdíveis no Sul da Islândia.




Um dos circuitos mais conhecidos do turismo local é o Golden Circle, Círculo Dourado. Pingvellir, lugar recheado de História, abrigou de 930 até 1798 as reuniões anuais do Parlamento (Alpingi) que ocorria durante 2 semanas em junho. As muralhas de pedra, resultantes do encontro das placas tectônicas da Europa e da América são parte da paisagem desse lugar especial.

O campo geotérmico em Haukadalur com vários geysirs e poças borbulhantes de lama, inclui o "Great Geyser" que batizou o fenômeno mundialmente. Hoje suas erupções são muito raras, porém o show é garantido pelo seu vizinho Stokkur que explode em jatos de vapor de mais de 30 metros de altura muitas vezes ao dia.

Completando esse Círculo Dourado, temos a cachoeira Gullfoss, ou Golden Waterfall, ou Cachoeira Dourada. Possui queda de 32m em dois estágios. Arco-íris coloridos criados pelo Sol no vapor de sua água são comuns...e no inverno blocos maciços de gelo cravejam as paredes da queda d água.

12 de out de 2009

Uma Ilha...de música !

A Island Records tem 50 anos... fundada em 1959 como gravadora independente, sempre colocou o talento acima do dinheiro. Alguns nomes como U2, Bob Marley, B-52, Tom Waits e recentemente Amy Winehouse foram lançados por ela.
Foi responsável pela "invenção" do reggae tornando-o conhecido mundialmente e agora comemora seu aniversário com a coletânea tripla Island Life com seus maiores sucessos.
Vale uma visitinha...http://www.islanddefjam.com/

8 de out de 2009

Acho que virei Ilha !!!!

Meus queridos amigos, setembro acabou e nenhum post novo...não viajei novamente não! Como disse minha amiga blogueira Silvana "as vezes a gente também entra em erupção e vira Ilha...por algum tempo".
Aconteceu comigo. De repente me senti cercada de uma massa líquida densa de pensamentos, pessoas, aborrecimentos, alegrias, compromissos...e me separei do Continente. Da conexão com vocês. Da comunicação com amigos e parentes. UAU.
Aqui estou de volta. E mando uma dica para quem quer passear na Islândia ...não tentem ver baleias por lá. Brasil, Santa Catarina, perto da praia do Rosa. É ali que elas preferem passear. À demain mes amies!

30 de set de 2009

Ilhas...de Robson Crusoé à Atlântida

  "Ilhas...esta simples palavra possui um poder incrível de atração e sonho. Como se as Ilhas trouxessem à tona um passado atávico esquecido nas nossas memórias mais profundas, a lembrança de uma idade do ouro quando vivíamos felizes nas praias entre as maravilhas do céu e do mar. Mesmo em um prospecto de agência de viagens a idéia de Ilha nos traz imagens de água turquesa brilhando, praias de areias finas e brancas, palmeiras...
  Ilha tornou-se sinônimo de aventura, de liberdade. Arquétipo de paraíso ídilico na Terra..."
  O que é " Ilha "  para você?

27 de set de 2009

Em Iceland, terra do Gelo... viajante também é turista





  O circuito tradicional de turismo na Islândia inclui glaciares que ocupam 11%  do território e estão brancos no mapa, cachoeiras, psicinas naturais de água quente, geysers, praias...enfim, muita água!
  Neste sabadão com uma bela Lua crescente no céu de primavera resolvi mostrar a vocês alguns lugares turisticos. Aproveitem a viagem...